O NOVO PROJECTO SOCIAL - CONVERGÊNCIAS


A Associação Famílias quis dar continuidade ao Projecto Sinergias, nasce assim o Projecto Convergências que tal como o seu antecessor tem o claro objectivo de intervenção na comunidade. Teve início em Abril de 2010 e durará até ao final de 2011. O Projecto Convergências tem como principal objectivo promover a igualdade, contemplando de forma articulada 3 eixos orientadores: cidadania e género, luta contra a violência doméstica e luta contra o tráfico de Seres Humanos. Como base orientadora de acção estão os três Planos Nacionais de 2007-2010: III Plano Nacional para a Igualdade Cidadania e Género, III Plano Nacional Contra a Violência Doméstica e o I Plano Nacional Contra o Tráfico de Seres Humanos.
O projecto foi pensado tendo em conta quatro núcleos de acção ou frentes de intervenção: Núcleo de Acção 1 “Arte e Cultura: entre a tradição e a mudança”; Núcleo de Acção 2 “Pedagogia e Prevenção”; Núcleo de Acção 3 “Produção e divulgação de conhecimento”; Núcleo de Acção 4 "Dinamização da Rua como espaço cultural e Pedagógico."
O indispensável das acções será dar visibilidade aos fundamentos do projecto, para que se possa dar voz às vítimas e potenciais vítimas daqueles fenómenos sociais. Para que juntos possamos levar as mensagens a um número cada vez maior de pessoas. Para que individualmente e em sociedade possamos informar, alertar e encaminhar. Para que possamos lutar contra fenómenos sociais que todos os dias afectam a dignidade humana.

Seminário de Encerramento




O Seminário de Encerramento do Projecto Sinergias terá lugar em Braga, no auditório do Instituto Português da Juventude, pelas 15h00.

A acção será ministrada pela coordenadora do projecto, Drª Benedita Aguiar, que fará a contextualização do Projecto Sinergias e apresentará as actividades concretizadas nesse âmbito. O Seminário contará também com a presença do Dr. Carlos Aguiar Gomes (Presidente da Associação Famílias), que discursará enquanto presidente da entidade promotora do projecto. A convidade especial deste seminário, Dr.ª Sílvia Fernandes (Docente da FACIS - Universidade Católica Portuguesa, pós-graduada em Economia Social pela Universidade de Coimbra e Mestre em Desenvolvimento e Inserção Social pela - Faculdade de Economia da Universidade do Porto), falará acerca da Importância dos Projectos Sociais na Promoção da Igualdade de Género. Um dos resultados mais relevantes deste projecto foi a Investigação, que teve como principal objectivo criar um “Mapa de género” entre o espaço púbico e espaço privado em Braga e Bragança.Os resultados gerais desta investigação serão expostos pela Drª Daniela Monteiro(Técnica de Serviço Social do Projecto Sinergias e Docente na Universidade Católica).
Este seminário servirá também, e mais uma vez, para sensibilizar para a promoção e reflexão sobre as questões inerentes às temáticas do projecto: cidadania e género, luta contra a violência doméstica e luta contra o tráfico de Seres Humanos.

Tertúlia: “Conciliação da vida profissional e familiar” - Bragança



A tertúlia realizar-se-á no dia 22 de Outubro em Bragança e contará com 8 participantes principais que debaterão como questão central a “Conciliação da vida profissional e familiar”, com o objectivo de encontrarem medidas para uma melhor conciliação das responsabilidades profissionais e familiares, que constitui uma faceta essencial das sociedades modernas. Neste processo sobressaem-se duas vertentes: por um lado a inclusão equitativa das mulheres no mundo do trabalho e por outro a responsabilização dos homens nas tarefas domésticas.

No final a tertúlia será aberta a comentários e/ou questões da plateia.

Tertulianos:

- Daniela Monteiro (Mestra em Serviço Social; Técnica de Serviço Social do Projecto Sinergias e Docente na Universidade Católica)
- Benedita Aguiar (Coordenadora do Projecto Sinergias,mestra em Psicologia da Saúde, diplomada em estudos avançados em Psicobiologia, mãe de dois filhos)
- Dr. Carlos Aguiar (Presidente da Associação Famílias)
- Ana Cracel (Assistente Social da Associação Famílias)
- Helena Silva (Psicóloga)
- Paula Massa (Administrativa, mãe de dois filhos)
- Regina Silva (Mestra em Comunicação social, Técnica de comunicação do Projecto Sinergias, mãe de um filho)
- Hugo Mendes (informático, pai de um filho)

Tertúlia: “Conciliação da vida profissional e familiar” - Braga



A tertúlia realizar-se-á no dia 15 de Outubro em Braga e contará com 8 participantes principais que debaterão como questão central a “Conciliação da vida profissional e familiar”, com o objectivo de encontrarem medidas para uma melhor conciliação das responsabilidades profissionais e familiares, que constitui uma faceta essencial das sociedades modernas. Neste processo sobressaem-se duas vertentes: por um lado a inclusão equitativa das mulheres no mundo do trabalho e por outro a responsabilização dos homens nas tarefas domésticas.

No final a tertúlia será aberta a comentários e/ou questões da plateia.

Tertulianos:

- Daniela Monteiro (Mestra em Serviço Social; Técnica de Serviço Social do Projecto Sinergias e Docente na Universidade Católica)
- Benedita Aguiar (Coordenadora do Projecto Sinergias,mestra em Psicologia da Saúde, diplomada em estudos avançados em Psicobiologia, mãe de dois filhos)
- Dr. Carlos Aguiar (Presidente da Associação Famílias)
- Ana Cracel (Assistente Social da Associação Famílias)
- Helena Silva (Psicóloga)
- Paula Massa (Administrativa, mãe de dois filhos)
- Regina Silva (Mestra em Comunicação social, Técnica de comunicação do Projecto Sinergias, mãe de um filho)
- Hugo Mendes (informático, pai de um filho)
Seminário “A Diferença Somos Nós” conta com 200 participantes de todo o distrito

video

A Associação Famílias realizou ontem à tarde, no auditório do Instituto Português da Juventude (Braga), o Seminário intitulado “A Diferença Somos Nós”. O evento foi organizado pelo Projecto Sinergias, promovido pela Associação Famílias e financiado pelo Programa Operacional Potencial Humano e Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, no âmbito da tipologia 7.3 de Apoio Técnico e Financeiro às Organizações Não Governamentais. O Seminário contou com a presença de 200 participantes, provenientes de diversos concelhos do distrito de Braga, nomeadamente representantes de instituições particulares de solidariedade social, autarcas e comunidade em geral. A abertura do Seminário foi realizada por Rosa Oliveira, representante da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) do Norte que explicou aos presentes o papel da CIG na execução das políticas públicas no âmbito da cidadania e da promoção e defesa da igualdade de género. Rosa Oliveira referiu que são diversas as atribuições da CIG, salientando o apoio à elaboração da política global e sectorial com incidência na promoção da cidadania e da igualdade de género e participação na sua execução; a elaboração de propostas normativas e pareceres nos domínios transversalizados da educação para a cidadania, da igualdade e não discriminação entre homens e mulheres, da protecção da maternidade e da paternidade, da conciliação da vida profissional, pessoal e familiar de mulheres e homens e do combate às formas de violência de género e de apoio às vitimas. Estas são, pois, algumas das atribuições da CIG, um Organismo essencial na promoção da cidadania e da igualdade de género. Seguidamente, Carlos Aguiar Gomes, Presidente da Direcção da Associação Famílias, sublinhou o empenho que a Instituição tem tido na promoção de acções que visam o alcance da igualdade de género, especificamente em matéria de conciliação entre a vida familiar e profissional e na sensibilização para uma maior participação do homem na esfera privada, designadamente no gozo da licença de paternidade a que tem direito, na realização de tarefas domésticas, na prestação de cuidados de puericultura aos filhos, no envolvimento no processo de ensino-aprendizagem dos filhos, entre outros aspectos essenciais que integram a dinâmica familiar. O Presidente da Associação Famílias sublinhou o imprescindível apoio prestado pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, o qual permite ter uma equipa jovem e multidisciplinar que, em articulação com as Instituições públicas e privadas, regionais e nacionais, tem contribuído para efectivar o princípio da igualdade de género. Por fim, destacou o papel do Projecto Sinergias na sensibilização da opinião pública, para o direito à igualdade entre homens e mulheres, assim como no fomento do debate em torno da violência doméstica, de modo a minimizar este fenómeno que afecta sobretudo os mais frágeis emocional, social ou fisicamente. Alfredo Cardoso, Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara Municipal de Braga, salientou o papel da autarquia na promoção da igualdade entre todos os bracarenses, alertando para a necessidade de intervir sobre as discriminações em função da idade, assim como da população portadora de deficiência. Benedita Aguiar apresentou um resumo das acções levadas a cabo no âmbito do Projecto Sinergias, tendo destacado a colaboração de figuras mediáticas no âmbito das acções de sensibilização realizadas, nomeadamente de Jorge Gabriel (Programa Praça da Alegria), da actriz Mariana Monteiro, da banda musical Irmãos Verdades e de figuras reconhecidas da comunidade científica, como é o caso de Júlio Machado Vaz, Manuel Damas, António Machado e Moura, Fernando Póvoas, Arnaldo Saraiva, entre outros. Benedita Aguiar referiu que “o Projecto Sinergias tem sido abraçado por toda a comunidade de uma forma muito especial, destacando-se um envolvimento notório de figuras mediáticas, o que assume uma importância preponderante, pois aquelas figuras constituem «modelos» para muitas pessoas e, ao combaterem a violência doméstica, podem ter um impacto maior na reestruturação cognitiva e comportamental destas últimas”. Benedita Aguiar destacou ainda “a excelente cobertura dada pela RTP, assim como pelo Jornal Diário do Minho, um jornal de referência na Região Norte”. Revelou ainda que o Projecto colaborou com diversas instituições, designadamente com o Estabelecimento Prisional de Bragança, a Organização Sindical CGTP e brevemente irá encetar uma colaboração com o Estabelecimento Prisional de Braga. Manuela Marinho, Especialista em Questões de Género, sublinhou a importância dos fundos comunitários, na mudança de paradigma em matéria de igualdade de género, uma variável que sofreu evoluções muito significativas nos últimos anos. Manuela Marinho frisou, igualmente, o contributo das orientações nacionais e internacionais, assim como a importância das intervenções multidisciplinares e multidimensionais que, abrangendo todas as esferas da vida, permitiram o desenvolvimento de uma cidadania activa. A Especialista alertou para a necessidade das intervenções “mexerem com a cabeça e com o coração das pessoas”, para que assim possa haver alterações atitudinais e comportamentais em matéria de igualdade de género. Por último, é de registar a intervenção de António Magalhães, doutorado em Estudos de Política e docente da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. Com o objectivo de repensar as "políticas da diferença" à luz das mudanças promovidas pelas chamadas Sociedade e Economia do Conhecimento, António Magalhães, colocou sob a égide do conceito da diferença e da preocupação da política enquanto forma de gerir, através da utilização do saber-poder, as relações sociais e as reivindicações que provêm de novas formas de cidadania. Apontou, ainda, os modelos de conceptualização e de legitimação da relação com as diferenças, como sendo quatro: o modelo etnocêntrico: o outro é diferente devido ao seu estado de desenvolvimento (cognitivo, social e cultural). O modelo da tolerância: o outro é diferente, mas a sua diferença é lida através de um padrão que reconhece essa diferença como legítima e, assim, a ser tolerada. O modelo da generosidade: o outro é diferente e essa diferença é assumida como uma construção do próprio Ocidente. O modelo relacional: o outro é diferente mas ‘nós’ também somos! A diferença reside na relação entre diferentes, salientou. No encerramento do seminário, Daniela Monteiro, Técnica do Projecto Sinergias, referiu que a dinâmica do mesmo, com forte carga mediática, “só tem sido possível devido ao apoio incondicional da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, enquanto Organismo Intermédio no seio do Programa Operacional Potencial Humano”. Aquele Organismo, para além do apoio financeiro, “tem disponibilizado um manancial de meios, designadamente bibliografia, que permitem enriquecer as intervenções realizadas e os recursos didácticos produzidos”, terminou.

Notícas sobre o Projecto Sinergias










Mariana Monteiro apoia o Projecto Sinergias no combate à violência no namoro

A actriz Mariana Monteiro realizou ontem um testemunho contra a violência doméstica, o qual integrará o vídeo pedagógico sobre aquela temática. Este vídeo, que integra o guia de recursos do Projecto Sinergias, será transmitido nas diversas acções de sensibilização a realizar, designadamente em escolas, colégios, instituições particulares de solidariedade social, estabelecimentos prisionais, entre outras entidades que trabalhem com jovens e jovens adultos.
Sendo Mariana Monteiro, uma referência para muitos jovens, o Projecto Sinergias crê que o seu testemunho pode contribuir para mudar atitudes e comportamentos, designadamente no que toca à violência no namoro. Mariana Monteiro salientou que “é importantíssima a participação de figuras mediáticas nas acções de sensibilização contra a violência doméstica.” Referiu, igualmente, que é importante incentivar a denúncia do crime de violência doméstica, pois “isto é um crime”.
Salientou o papel de toda a sociedade, designadamente do poder político e judicial, da comunicação social, que “deve pôr este tema na primeira página”, das famílias e das escolas. Salientou que estas últimas (família e escola) devem “educar para a igualdade e para a tolerância”, pois essa é uma forma de prevenir o fenómeno da violência doméstica, nas suas mais diversas manifestações. Por último, Mariana Monteiro dirigiu a sua palavra às vítimas de violência doméstica: “Por favor não se cale, não desculpabilize e denuncie, não sinta pena do agressor, pois ninguém ama, batendo”.


Mariana Monteiro e Benedita Aguiar, coordenadora do Projecto Sinergias

De acordo com Gover, Kaukien e Fox (2008) este tema tem merecido especial destaque recentemente, pois as investigações sugerem que a violência no namoro é um preditor da violência marital.
É de salientar o trabalho desenvolvido por Carla Machado e Sónia Caridade que, entre outros dados relevantes, referem que existe «tanta violência» no namoro entre os jovens do escalão etário 15-25 anos, como no casamento, sendo que 25% dos jovens já foram vítimas de violência no contexto de uma relação afectiva.
Além disso, a reprodução de comportamentos violentos de geração em geração parece ser uma evidência, registando-se dois dados de extremo relevo: por um lado há uma maior propensão para a produção de comportamentos violentos nas pessoas provenientes de agregados familiares onde a violência doméstica é um facto (Gelles, 1997) e, por outro lado, há uma maior propensão para se ser vítima de violência doméstica quando na família se regista violência doméstica (Gomes et al, 2007).
De acordo com Benedita Aguiar “frequentemente, em nome do amor, são construídas situações de violência emocional e física, que, entretanto são legitimadas em razão do próprio amor”. Nesse sentido, “temos vindo a combater activamente o fenómeno da violência no namoro, mediante a realização de acções de sensibilização destinadas a jovens e jovens adultos”.
A coordenadora da iniciativa salientou a importância do testemunho de Mariana Monteiro, “uma das actrizes portuguesas com maior potencial e cujo sucesso é deixado transparecer pelas suas excelentes interpretações, designadamente na série «Morangos com Açúcar», «Doce Fugitiva», «Fascínios», «Equador» e muito recentemente como protagonista da telenovela «Deixa que te Leve»”.
Saliente-se que este Projecto é promovido pela Associação Famílias com o apoio do POPH e da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.


Projecto Sinergias participa na campanha «Maltrato Zero», que une 22 países ibero-americanos

A campanha designada «Maltrato Zero» (www.maltratozero.com), promovida pela Organização Ibero-Americana de Juventude (OIJ), e em Portugal pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e pelo IPJ, na qual Mariana Monteiro também colaborou, tem como objectivo alertar as sociedades para a necessidade de denunciar situações de violência contra as mulheres e para ajudar a combater esta realidade.
Benedita Aguiar referiu que “qualquer um de nós pode integrar um cartaz com uma frase contra a violência doméstica ou mesmo dar um contributo verbal contra este fenómeno. Quer os cartazes, quer os vídeos, depois de aprovados, serão disponibilizados na internet, podendo estar acessíveis a toda a comunidade”. A coordenadora do Projecto Sinergias referiu ainda que “não obstante ser destinada à sociedade em geral, o movimento «Maltrato Zero» está dirigido principalmente à população jovem dos 22 países ibero-americanos.”
Terminou referindo que o Projecto Sinergias já aderiu ao movimento, esperando-se uma adesão em massa por parte da comunidade bracarense.